quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

ISLÂNDIA (8ºdia): Hofn - Jokulsárlón - Skaftafell (Vatnajokull National Park)















































Um dos grandes aliciantes de uma viagem para um local desconhecido é o facto de nunca sabermos qual será aquele momento ou aquele local que irá deixar marca na nossa memória. Não tínhamos grandes expectativas em relação a Hofn, mas acabámos surpreendidos. 

Hofn é a segunda maior cidade do sudoeste da Islândia, e uma das poucas com porto de mar. A proximidade com o Parque Nacional de Vatnajokull torna esta cidade uma das melhores bases para partir à descoberta da maior mancha de gelo da Europa. 

Acordamos bem cedo, na companhia do Akurey, um pequeno barco "museu" à entrada do porto. 


Ainda antes de rumarmos às piscinas, fizemos um curto desvio para observar, ao longe, o Vatnajokull e algumas das suas línguas glaciárias. 




O entusiasmo dos mais pequenos era grande, e nem a gélida temperatura matinal esmoreceu a enorme expectativa de uma manhã de diversão no parque aquático! Era tempo de curtir o verão... e os "calorosos" 11ºC que o termómetro registava naquele momento! 



Piscina reservada aos mais pequenos, com água bem quentinha.












Perspectiva geral dos escorregas e do tanque principal. A água quente permite a utilização deste equipamento público durante todo o ano. Uma maravilha!!























Em plena preparação para os jogos olímpicos...























Um parque aquático com água quente!! Isto é que qualidade de vida! 























Depois de uns minutos no jacuzzi, com água a 40-42ºC, nada melhor que um choque térmico no tanque de gelo. Só para corajosos!!























Os menos corajosos ficam-se por aqui...
























Ficamos verdadeiramente impressionados com as excelentes condições deste complexo (Sundlaug Hafnar). Muito conforto, muita tranquilidade, muita qualidade!! O cuidado com a higiene é levado ao extremo, e isso é sentido logo após a compra do acesso às piscinas, sendo obrigatório, por exemplo,  deixar o calçado na recepção. Em todas as áreas existe informação detalhada sobre os procedimentos e cuidados a observar, nomeadamente a obrigatoriedade de um banho integral, sem fato de banho, antes da utilização das piscinas. Aliás, esta é uma regra de ouro na Islândia.

Apesar da temperatura reduzida que se fazia sentir no exterior, a diversão foi imensa. A água quente dos diferentes tanques e de todos os escorregas não deixou ninguém com frio. 

Depois de uma manhã de brincadeira, e algum relaxamento, regressámos à estrada. Com apenas 136 km a separar Hofn de Skaftafell, o nosso destino, decidimos tentar a aproximação ao Vatnajokull, antes da paragem obrigatória para almoço. 
























O Vatnajokull cada vez mais perto...
























À medida que avançávamos era cada vez mais evidente a monstruosa massa de gelo do Vatnajokull.
















A escassos quilómetros de Hofn encontramos o Fláajokull, uma das várias línguas glaciárias do Vatnajokull de fácil acessibilidade. Decidimos deixar a N1 e percorrer os 9 km de estrada em gravilha que nos levaram até bem perto de uma das extremidades do Fláajokull. O percurso é demorado, atendendo às condições muito precárias do pavimento, mas o vislumbre do glaciar rapidamente faz esquecer esse constrangimento. Sem palavras...



Uma imagem muito rica. É possível observar a frente do glaciar, moreias laterais e a água que resulta do degelo glaciar.





















































Os mais pequenos são entusiastas do fenómeno geológico e adoram observar rochas diferentes.













De regresso "a casa", e para aproveitar um pouco mais a vista para o glaciar, preparamos algo para o almoço. Desta feita uns hot dogs deliciosos!





Continuamos a nossa viagem, sempre com cenários incríveis à nossa volta. O sol espreitava, entre as nuvens, emprestando um colorido fantástico às montanhas e ao Vatnajokull.








A próxima paragem foi absolutamente épica: Jokulsárlón. Trata-se de um lago glaciar, com cerca de 18 km2 de área e profundidade máxima de 284 metros, situado junto a uma praia de areia negra na vertente sul do Vatnajokull. A espectacularidade deste lago reside no facto de receber pequenos blocos de gelo e icebergs provenientes do glaciar, que aí flutuam até atingirem o oceano atlântico. É um oásis de tranquilidade, beleza natural e silêncio, apenas interrompido por choques ocasionais entre enormes pedaços de gelo. A paisagem está em mudança permanente!   Além disso, é o habitat natural de uma colónia de focas, facilmente avistadas a nadar tranquilamente por entre os blocos de gelo.

As imagens falam por si...































Um diamante em estado puro! 







Ao centro é bem visível a cinza vulcânica, proveniente de uma erupção recente, depositada no topo de glaciar. É uma imagem recorrente na Islândia, um dos países com maior actividade vulcânica no planeta!


Final da viagem para estes icebergs, aqui a escassos metros do oceano atlântico. A ponte é parte integrante da N1. 

Duas focas nadam tranquilamente no lago, imunes aos olhares e flashes dos turistas.






























Não menos espectacular que Jokulsárlón é a praia de areia negra para onde flui todo o gelo proveniente do glaciar. Conhecida como a Praia dos Diamantes, deve o seu nome aos inúmeros pedaços de gelo de elevada transparência que se acumulam na praia, com as formas mais variadas. Um fenómeno de grande beleza!!






























































































































































Depois de termos dedicado um bom par de horas a Jokulsárlón, pelos motivos óbvios, e já com o final de tarde no horizonte, voltámos à estrada para visitar outro lago glaciar de enorme beleza - Fjallsárlón. Ao longo dos 11 km de estrada que os separam, a paisagem continua a surpreender, com o Vatnajokull a mostrar-se a todo o momento.



























Embora de menor dimensão, Fjallsárlón reúne características semelhantes a Jokulsárlón, sendo possível observar enormes pedaços de gelo, provenientes do glaciar, a flutuar nas suas águas. A proximidade com a frente do glaciar é bem maior aqui e o impacto é avassalador, dada a dimensão do mesmo! Indescritível!!! O acesso ao lago é relativamente fácil, mas obriga a uma pequena caminhada.














































E assim chegava ao fim mais um dia memorável! Ainda havia muito para ver, nos dias que restavam, mas, chegados a este ponto, a satisfação era imensa!! Estávamos deliciados!! 



Percorremos mais 48 km, desde Fjallsárlón, até chegarmos ao destino. Durante este curto trajecto fomos abençoados com um esplêndido sol de fim de tarde!! Perfeito!



























A noite foi passada no coração do Parque Nacional de Vatnajokull, no camping de Skaftafell, situado junto ao centro de visitas do parque. O camping dispõe de boas condições para autocaravanas e é muito amplo e sossegado. Era tempo de descansar e preparar a longa caminhada do dia seguinte!


Para conhecer toda a aventura clique aqui: ISLÂNDIA 2017: 12 dias em autocaravana

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...